Bewegen 970x90
Bewegen 970x90
Bewegen 970x90
Economia sustentável

O AGRONEGÓCIO QUE FUNCIONA SEM DESMATAR.

Iniciativa privada começa a liderar debates para buscar ações para o meio ambiente e reforçar o bom desempenho do campo.

POLÍTIC-ECONOMIA

POLÍTIC-ECONOMIATudo sobre o tema na região, estado, país e mundo.

26/08/2020 13h24
Por: Vitor Blemer
Fonte: Estadão
Resultado no campo deverá ser recorde este ano com a previsão de colheita recorde e dólar altoARQUIVO PESSOAL
Resultado no campo deverá ser recorde este ano com a previsão de colheita recorde e dólar altoARQUIVO PESSOAL

Responsável por um quinto do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, o agronegócio é um dos poucos setores que vão crescer este ano em meio à pandemia do coronavírus. Com a expectativa de colher uma safra recorde de grãos – o faturamento do setor “da porteira para dentro” deve atingir R$ 730 bilhões em 2020 –, a agricultura nacional ganhou os holofotes este ano não pelo seu bom desempenho financeiro no campo, mas pela imagem negativa no exterior: a de um País que desmata.

Um dos maiores produtores de grãos, cana-de-açúcar e carne do mundo, o Brasil está em meio a um tiroteio entre o governo, ambientalistas e investidores estrangeiros desde o ano passado, com o crescimento das queimadas da Amazônia e aumento do desmatamento da floresta.

Sob ameaça de boicote aos produtos brasileiros por parte dos países importadores e pressão de fundos internacionais, empresários e banqueiros brasileiros decidiram cobrar do governo federal ações concretas para a agenda ambiental e provar para o mercado internacional que a agroindústria brasileira é sustentável e tem condições de avançar sem derrubar uma árvore.

A interlocução do setor privado tem sido com o vice-presidente, Hamilton Mourão, que comanda o Conselho Nacional da Amazônia Legal e tem promovido encontros com empresários  para debater o tema .

“O setor privado está liderando esse processo (de discutir a sustentabilidade). Não é mais só papel das ONGs ficarem cobrando por isso. Empresários brasileiros estão participando desse debate. A novidade é que as cadeias estão mais organizadas. Os grandes varejistas e consumidores globais  estão cobrando mais sobre a origem dos alimentos”, diz Marcos Jank, professor e pesquisador sênior do agronegócio global do Insper.

Para o especialista, os problemas que o País está enfrentando hoje no agronegócio são antigos. “Passam pela regularização fundiária, comando e controle das áreas nas bordas do bioma amazônico e falta de regularização do Código Florestal”, diz.

Segundo Jank, o problema do desmatamento ilegal não é de natureza agrícola, e sim uma questão fundiária. “Diz respeito à posse da terra. Há 50 milhões de hectares de terras devolutas no Norte do País.”

agronegócio brasileiro não precisa da Amazônia para crescer, ressalta Pedro de Camargo Neto, uma das principais lideranças do setor e ex-presidente da Sociedade Rural Brasileira (SRB). Estima-se que menos de 2% dos produtores sejam responsáveis por 62% do desmatamento ilegal na Amazônia e no cerrado brasileiro, de acordo com a publicação da revista científica Science.

“Tem de seguir a lei. No fundo, o Código Florestal virou irrelevante porque o governo não fiscaliza”, reforça Camargo Neto. Mas, para o líder do setor, o agronegócio brasileiro é um dos mais eficientes do mundo e não deve ser penalizado pelos que praticam a agricultura predatória.

“No fundo, o Código Florestal virou irrelevante porque o governo não fiscaliza” Pedro de Camargo Neto, ex-presidente da Sociedade Rural Brasileira

Também especialista em comércio exterior, Jank diz que o principal cliente do agronegócio brasileiro não é a Europa e os Estados Unidos, mas sim o mercado asiático. Na Europa, segundo ele, a preocupação hoje é claramente com as práticas socioambientais: crescimento sustentável, relações entre agricultura e desmatamento, mudança do clima, uso da água e da terra, mas esses temas ainda não chegaram ao centro da agenda asiática. “Já a preocupação da Ásia é a necessidade de aumentar a produtividade da agricultura e a qualidade e sanidade dos alimentos.”

“A grande maioria do agronegócio é séria - tem boa origem, rastreabilidade e não faz desmatamento. Mas o fato é que existe um desmatamento crescente e uma pressão internacional por conta disso. Temos de fazer entre nós um esforço para combatê-lo”, diz o empresário Guilherme Leal, um dos fundadores da empresa de cosméticos Natura – empresa referência em sustentabilidade no País e no mundo. Leal também é dono da empresa de chocolates finos Dengo. O empresário comanda no sul da Bahia um projeto para estimular  a produção de cacau sustentável na Mata Atlântica, mostrando que é possível integrar a cadeia produtiva à indústria.

SAFRA RECORDE

 

Com uma produção de grãos estimadas em cerca de 250 milhões de toneladas, o plantio ocupa uma área de 65 milhões de hectares – a tecnologia tem avançado na agricultura brasileira. Parte dos produtores também está priorizando a redução de agroquímicos em suas áreas de cultivos para buscar um manejo mais sustentável no campo.

Para Jank, o Brasil tem total condição de liderar processo da agricultura mais sustentável do mundo e já adota práticas como o plantio direto, integração entre lavoura, pecuária e floresta, a produção de biocombustíveis e agricultura de baixo carbono.

Para Marcos Jank, professor de agronegócio internacional do Insper, é preciso resolver a regularização fundiáriaARQUIVO PESSOAL

Mas o conceito de sustentabilidade é muito amplo, lembra Camargo Neto. “Não dá para dizer que o plantio com grãos transgênicos e uso de agroquímicos não sejam sustentáveis”, diz um dos principais líderes do agronegócio. “A atividade agrícola também tem de ter sustentabilidade econômica ao produtor para ser viável.”

Para especialistas e empresários ouvidos pelo Estadão, é preciso também combater a desinformação lá fora a respeito do Brasil. “A imagem do Brasil está arranhada lá fora sim. Mas há uma fração majoritária de injustiça. O garimpo não é agro e a extração de madeira ilegal também não tem o apoio da agricultura”, diz o professor Felippe Serigati, pesquisador do Centro de Agronegócios da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

A SC News lança PROJETO de incentivo ao jornalismo independente. 

Descubra as VANTAGENS de ser nosso PARCEIRO. 

Clique na imagem abaixo ou acesse o link https://bit.ly/383oXTX e confira!

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Jaraguá do Sul - SC
Atualizado às 03h40
18°
Muitas nuvens Máxima: 27° - Mínima: 18°
18°

Sensação

9 km/h

Vento

89.5%

Umidade

Fonte: Climatempo
Cia das Piscinas
60 SABORES
Grão de Gente 300x600
Eccel Barber 300x600
anuncie aqui
HC Hornburg
Pedra Flor 300x250
Ig Energia
Grão de Gente 300x250
Anúncio Solidário 01 Cocadas Gourmet
Lar dog lar
Anúncio Solidário 02 Pinturas Kchechik
Premium Host
Pedra Flor 300x250
Eccel Barber 300x250
Fachini 300x250
Barbearia e Tatoo
MATRIZES PARA BORDAR - B I K TECNOLOGIA!
60 SABORES 300x250
HC Hornburg
Prática
Municípios
Marreco Recheado
Pedra Flor 300x250
SOS Cidadão
Bela sempre
anuncie aqui
Grão de Gente 300x250
Espaço Equilibrium
Kairós Consórcios
Fachini 300x250
Eccel Barber 300x250
Premium Host
60 SABORES 300x250
Gilberto Paraíba
INFO CAMPE
4 Rodas Lavação
Últimas notícias
60 SABORES 300x250
VR Moto Peças
Eccel Barber 300x250
Rodízio em Casa Jaraguá
Livratto
Bio Moda Fitness
Pedra Flor 300x250
Grão de Gente 300x250
Greens
Mateus Bueno
anuncie aqui
Elis Sinara
Econonise
Fachini 300x250
Dcor life
Mais lidas
Pães e bolos
anuncie aqui
Grão de Gente 300x250
Eccel Barber 300x250
Pedra Flor 300x250
Máscaras 100% algodão
60 SABORES 300x250
Fachini 300x250
Fachini 300x250
60 SABORES 300x250
Premium Host
Grão de Gente 300x250
Pedra Flor 300x250
Eccel Barber 300x250
anuncie aqui